PT
EN
  Notícias  
13.05.2019
7 medalhas de Grande Ouro para o Alentejo no Concurso de Vinhos de Portugal

Os veredictos foram dados por um vasto painel de especialistas em vinhos, nacionais e estrangeiros, trazidos mais uma vez pela ViniPortugal, que organizou o evento.

No final, os grandes vencedores vieram do Douro e Alentejo. “O Melhor do Ano” e “Melhor do Ano Tinto” foi para o Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca Douro 2016, da Aveleda. Nos brancos, venceu outro duriense, o Quinta da Pedra Escrita Reserva Bio 2017, de Rui Roboredo Madeira. Vamos agora ver os melhores varietais: nos tintos ganhou o alentejano Grande Rocim 2015, do Rocim Agroindústria, um vinho feito de Alicante Bouschet. O melhor varietal branco foi para o Dão, para o Villa Oliveira Encruzado 2016, do Abrigo da Passarela. Nos ‘Licorosos’ ganhou o Alambre Moscatel de Setúbal 20 anos, da José Maria da Fonseca Vinhos, que bateu toda a concorrência do Vinho do Porto e Madeira.

Finalmente, nos espumantes, a palma foi para as Caves São João a congratularem-se pelo Luiz Costa Pinot Noir & Chardonnay 2015, o espumante topo de gama desta casa bairradina.

A lista completa de premiados está disponível no site do Concurso Vinhos de Portugal e pode ser consultada aqui.

Os vencedores foram conhecidos na gala de entrega de prémios do Concurso Vinhos de Portugal, que se realizou no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, e que contou com a presença do presidente do Conselho Directivo do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), Bernardo Gouvêa.

Em termos de estatísticas, o júri atribuiu um total de 423 medalhas, das quais 29 na categoria Grande Ouro, 98 de Ouro e 296 de Prata. O Douro foi a região que recebeu mais medalhas Grande Ouro do júri, recolhendo 11 medalhas, seguindo-se a região do Alentejo, com 7 medalhas, e Dão, com 4 medalhas. A lista completa de premiados está disponível no site do Concurso Vinhos de Portugal.

Tal como é tradicional, todos os vinhos foram provados durante três dias em Santarém. Os medalhados a Ouro passaram à fase final, onde um Grande Júri, reunido em Espinho, seleccionou as medalhas Grande Ouro e os Melhores do Ano. O Grande Júri foi composto por Dirceu Vianna Júnior (MW), do Reino Unido, Evan Goldstein (MS), dos EUA, Thomas Vartelaus, da Suíça. Dois portugueses estavam também lá: Bento Amaral, do IVDP, e Luís Lopes, presidente do Concurso e director da revista Grandes Escolhas.

Recorde-se que este é o maior concurso mundial de vinhos portugueses e foi mais uma vez uma organização da ViniPortugal. Jorge Monteiro, presidente desta instituição, faz um balanço positivo desta edição: “Ano após ano temos sido capazes de fazer crescer o Concurso Vinhos de Portugal nas suas diferentes dimensões, nomeadamente no número de vinhos inscritos, bem como a presença de mais especialistas internacionais, que acederam ao convite para vir conhecer a nossa realidade vitivinícola”. E referiu ainda: “Mais do que uma competição, o Concurso Vinhos de Portugal é uma semana dedicada à celebração da qualidade dos vinhos portugueses.

É um momento importante para os agentes económicos envolvidos na fileira do vinho e um óptimo veículo de promoção dos vinhos de Portugal junto de especialistas internacionais, que vão regressar aos seus países de origem com muito mais conhecimento da qualidade dos nossos vinhos graças ao programa paralelo da iniciativa, que inclui jantares vínicos, visitas a produtores e masterclasses”.

Recorde-se que a participação no Concurso Vinhos de Portugal constitui uma plataforma para a promoção internacional dos produtores portugueses. Os vinhos distinguidos com as Medalhas Grande Ouro e Ouro terão presença garantida em eventos internacionais de excelência a realizar em 2019.

 
  Voltar
  Partilhar
Vinhos do Alentejo 2023